volta-em-koh-tao

Volta à ilha em Koh Tao

No dia seguinte à nossa ida a Koh Nang Yuan, ilhota a noroeste de Koh Tao que contei aqui, aproveitamos novamente a vantagem de se estar em um grupo de quatro pessoas e fechamos, novamente, um barco privativo, dessa vez para o dia todo: o Moo, barqueiro tailandês nascido ali mesmo, nos levaria para uma volta completa à ilha por mar – o preço para isso, que começou em 3.000 baths, ficou em 2.200 baths (aproximadamente R$ 220), depois de negociado.

Antes de começar a contar, vale a pena compartilhar um mapa, para ajudar você a se situar sobre os lugares que citar:

Mapa de Koh Tao
Mapa de Koh Tao | Foto: reprodução

Começamos às 9h, na praia de Sairee, onde estávamos hospedados – nos primeiros dias, ficamos em Mae Haad, onde está o píer, mas migramos depois da chegada dos nossos amigos, para ficarmos no mesmo lugar. Rumamos para o sul da ilha e, portanto, nossas primeiras paradas seriam em praias que eu e a Manu já havíamos conhecido no dia que fizemos a trilha pela costa sudoeste, Sai Nuang e Freedom Beach. Contei sobre as duas nesse outro post, mas compartilhar algumas fotos pra relembrar o quanto são bonitas não custa nada, né?

Sai Nuang Beach, em Koh Tao
Nosso barquinho ancorado na primeiro parada: Sain Nuang Beach | Foto: Rapha Rotta

Para nós, o primeiro destino inédito do dia foi Shark Bay (baía), uma praia extensa, de areia bem clara e fina, com aquele mar azul-transparente sensacional, muitas árvores que produziam deliciosas – ao mesmo tempo que necessárias – sombras, onde ficamos um pouco, de papo pro ar. Até tentamos nos arriscar no snorkel, mas não foi lá muito promissor, principalmente por ser uma região bastante rasa.

Praia de Shark Bay, em Koh Tao
A praia de Shark Bay | Foto: Manu Pontual

O mesmo não se pode dizer dos arredores da ilha bem em frente, cujo nome é o mesmo da baía, Shark. Quando chegamos, a natureza já deu seus primeiros sinais de que o lugar tinha algo de especial: um bando de gaivotas sobrevoava a pequena ilha, criando uma harmonia com a paisagem de cair o queixo. Dá uma olhada:

Shark Island cercada por um mar transparente e coberta de gaivotas
A Shark Island, seu mar transparente e suas gaivotas | Foto: Manu Pontual

Depois disso, ficamos um tempinho de bobeira, boiando por ali, até colocarmos as máscaras e enfiarmos a cabeça embaixo d’água pela primeira vez, para demorarmos bastante para tirá-la. Foi impressionante/chocante/emocionante o que vimos nesse, que foi, sem dúvida, o melhor ponto de snorkel que encontramos em Koh Tao – e olha que opções não faltam. Olha só por que:

[metaslider id=1402]

Foi bem difícil nos tirar dali, mas ainda tínhamos bastante coisa para ver, então nos convencemos de que precisávamos ir. Seguimos viagem até Laem Thiam, onde teoricamente haveria um lugar com penhascos de onde poderíamos pular na água – coisa que, quem me conhece, sabe que aprecio bastante. Mas, ao chegarmos, encontramos uma ilha às moscas, com um antigo resort abandonado, caminhos cobertos por folhas que nos impediam de descobrir por onde seguir. Isso, porém, não quer dizer que o lugar não era agradável, muito pelo contrário.

Praia de Laem Thiam, em Koh Tao
Praia de Laem Thiam | Foto: Renato Beralzir

Saindo dali, o Moo ainda tentou nos levar até outro ponto onde poderíamos pular, mas antes de conseguir chegar até a pedra, em Tanote Beach, cortei o pé em um coral e tive que desistir – acreditem se quiser, pelo segundo dia consecutivo, esquecemos as sapatilhas de mergulho, fato que gerou uma lista de itens, por escrito, que agora checamos antes de sair para a praia. Nosso amigo conseguiu e gostou bastante. Olha a foto que ele tirou lá de cima:

Tanote Beach em Koh Tao
Olha lá o Bera se preparando pra pular | Foto: Veruska Piagem

Depois disso, no próximo – e penúltimo – destino foi Hin Wong, outra baía, quase sem faixa de areia, mas com uma área bem grande com corais, peixes e diversão subaquática. Ficamos ali mais um bom tempo nadando de um lado pro outro e, apesar de não ser tão incrível quanto ao redor de Shark Island, dá pra ver bastante coisa:

Snorkel em Hin Wong Bay
Snorkel em Hing Wong Bay | Fotos: Manu Pontual/Rapha Rotta

Nossa última parada foi em Mango Bay, uma praia famosa em Koh Tao, também bem pequena no quesito areia, mas com uma área marítima bem extensa. Porém, a essa altura, já tínhamos excedido nossa cota de snorkel do dia, então ficamos aproveitando a praia – bem bonita, como vocês podem ver na foto abaixo – e o fim do sol, que já começava a se esconder atrás das montanhas.

Foto do alto de Mango Bay, em Koh Tao
Foto do alto, da gente aproveitando Mango Bay | Foto: Veruska Piagem

Havia, ainda, a possibilidade de paramos em Nang Yuan Terrace para assistirmos ao pôr-do-sol, que dali desaparece atrás de Koh Nang Yuan. Mas, como ele já tinha desaparecido antes disso nas diversas nuvens que apareceram de última hora no céu, decidimos seguir direto pro nosso ponto de origem – Sairee – e terminar assim um dos passeios mais legais e proveitosos que fizemos nas praias da Tailândia.

Se recomendamos? Muito!

 

[su_box title=”//Quer escrever para a Plot?” box_color=”#141A21″]Escreva pra gente no contato@mundoplot.com.br contanto a sua história ou dica, que entramos em contato para combinar os próximos passos! :)[/su_box]
Rapha Rotta
Sócio-fundador da Plot, namorado da Manu, libriano indeciso e a cada dia mais asfaltofóbico. É apaixonado pelo mundo desde que consegue se lembrar e não consegue se sentir tranquilo sem saber quando será a próxima viagem.

Share This

Copy Link to Clipboard

Copy